Escolas particulares investem em ensino bilíngue com padrão internacional

Esta postagem foi atualizada em 19 de junho de 2021

São Paulo, SP 6/5/2021 – “Não se trata de dominar uma segunda língua, mas sim de aprender a pensar em dois idiomas de forma natural.”

Com perfil seguindo moldes das escolas internacionais, as instituições de elite no Brasil buscam referência em países com altos índices na área educacional, como o Canadá.

Se a forma de se informar e de se comunicar mudou com a transformação tecnológica, a educação básica também precisa se transformar. Para acompanhar a rápida evolução da sociedade, em função dos avanços tecnológicos, as instituições educacionais também tiveram que se reinventar quebrando paradigmas e investindo em novas formas de ensinar. O bilinguismo é uma destas formas.

No Brasil, cada vez mais cresce o número de instituições que oferecem o ensino bilíngue, caracterizado por um currículo em que os dois idiomas são utilizados como meio de instrução. Mas afinal, quais as vantagens do ensino em dois idiomas para crianças e adolescentes?

“Não se trata de dominar uma segunda língua, mas sim de aprender a pensar em dois idiomas de forma natural. Estudos têm comprovado que a educação bilíngue propicia o desenvolvimento de muitas habilidades, dentre elas o pensamento criativo, a consciência sobre as propriedades estruturais da língua que amplia as possibilidades de significação do mundo”, explica Camila Rivetti, coordenadora da Escola Fernão Gaivota – Maple Bear Alphaville, instituição localizada no bairro de Alphaville, na Grande São Paulo e que foi a primeira escola do Brasil a adotar a metodologia bilíngue Maple Bear, do Canadá. Hoje, a rede de escolas Maple Bear tem mais de 140 unidades somente no Brasil e marca presença em 20 países, somando assim, mais de 450 escolas pelo mundo. 

LEIA TAMBÉM:  Projeto propõe uma nova maneira de consumir conteúdos sobre marketing

Com uma bagagem de 14 anos de ensino bilíngue, a equipe da escola Fernão Gaivota – Maple Bear Alphaville pôde ver seus alunos se formarem e comprovarem a eficácia da metodologia educacional canadense. “Trouxemos nossas filhas logo no início da implantação da Maple Bear, em 2007. Hoje, com a Catarina iniciando a faculdade de Medicina e a Luísa concluindo o Ensino Médio, vemos claramente as marcas do ensino em constante evolução, nunca acomodado. Pensamento crítico e além dos limites tradicionais são algumas dessas marcas que as ajudarão em suas carreiras e desenvolvimento pessoal”, comenta Mirtes Teixeira, mãe das alunas Luísa, estudante da 3ª série do Ensino Médio e Catarina, concluinte de 2019 e aprovada no curso de Medicina da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) e da FAMEMA (Faculdade de Medicina de Marília). 

Segundo um levantamento realizado pela Associação Brasileira do Ensino Bilíngue (Abebi), desde 2014, o mercado teve um aumento de 10% e movimenta cerca de 250 milhões de reais atualmente. E de acordo com a Organização das Escolas Bilíngues de São Paulo, somente no Estado, o número de estudantes deste perfil de instituição saltou de 2.800 para 4.600, em cinco anos. 

 

Educação Canadense 

Desde 1970, a educação no Canadá é oficialmente bilíngue (inglês e francês). E além de referência mundial em educação bilíngue, o Canadá vem se destacando consistentemente no PISA, programa internacional que produz indicadores sobre a efetividade do ensino nas áreas de matemática, leitura e ciências. Nesse ranking trienal, realizado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), com a participação de 76 países e divulgado pela última vez em 2019, o Canadá despontou nas primeiras posições, enquanto o Brasil ocupa a 60ª posição.

O programa Maple Bear no Brasil foi desenvolvido por especialistas canadenses e brasileiros, respeitando todas as exigências do Ministério da Educação (MEC), bem como incorporando a experiência de sucesso das escolas canadenses. Anualmente os especialistas canadenses conduzem um rigoroso programa de formação do corpo docente, acompanhamento acadêmico e certificação de qualidade. 

LEIA TAMBÉM:  Instituto Positivo disponibiliza e-books gratuitos para ajudar na implantação do Regime de Colaboração nos municípios

 

A aprendizagem bilíngue a partir da Educação Infantil 

Desde a Educação Infantil (a partir de 2 anos), a metodologia Maple Bear valoriza o aprendizado produzido diretamente pela vivência dos alunos, priorizando as descobertas individuais e a experimentação. “O período que a criança está na sala de aula é um momento de imersão total, a comunicação é feita exclusivamente em inglês”, explica Camila Rivetti, da Maple Bear Alphaville.

O ambiente escolar oferece situações de uso real da leitura e da escrita, como, por exemplo, a leitura das regras de um jogo, a produção de convites para eventos escolares, a produção de bilhetes aos pais e o acompanhamento dos horários das atividades, entre outras. Para o sucesso do programa, a rotina diária contempla situações didáticas de reflexão sobre o sistema alfabético de escrita e de apropriação da linguagem. 

 

Trabalhando com os dois idiomas

No ensino bilíngue, parte das disciplinas são em inglês. Na escola Fernão Gaivota – Maple Bear Alphaville, por exemplo, no Ensino Fundamental (1º ao 9º ano), as crianças desenvolvem todas as competências de comunicação (compreensão, fala, leitura, escrita, visualização e representação) nos dois idiomas. 

As disciplinas Língua Inglesa (English Language Arts), Matemática, Ciências e Educação Física acontecem integralmente em inglês, enquanto Língua Portuguesa, Música, Geografia e História em português. 

Ao completarem o 9° ano, todos os alunos são certificados pelo exame do TOEFL Junior®, métrica de proficiência em inglês e de padrão internacional do ensino do idioma. O TOEFL Junior® é o irmão mais novo do TOEFL iBT®, consagrado exame utilizado por universidades americanas e demais países de língua inglesa.

Website: http://www.fernaogaivota.com.br

Inscreva-se
Notificar sobre
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments