Campus Party se une a Gouvêa Ecosystem em jornada que promete ampliar a presença do evento no Brasil

  • por

São Paulo 10/2/2021 – A Campus tem em sua proposta a transformação da realidade digital que vem acontecendo no mundo e ao mesmo tempo amplia um pouco mais o escopo da nossa atuação.

De maneira inédita as duas empresas se unem para realizarem a maior edição da história; expectativa é reunir, simultaneamente, um público de mais de 50 países na edição online

A Campus Party é sinônimo de conteúdo e tecnologia disruptiva, além de espaço de debate sobre pautas que permeiam dilemas atuais da sociedade, mas agora também será palco para discussões relacionadas ao futuro da experiência de consumo. O evento, conhecido por unir pessoas, comunidades, universidades, startups, empresas e governos em um só lugar, a partir de conteúdos exclusivos compostos por palestras, workshops, hackathons e uma série de desafios, conta agora com a expertise da Gouvêa Ecosystem como parceria para a sua realização no Brasil. O próximo país que deve se beneficiar com a parceria é Portugal.

Após meses de acertos e desenho o modelo, a Gouvêa chega para somar o alcance da Campus Party no campo do consumo. A empresa, com mais de 30 anos no mercado, atua de maneira estratégica no âmbito educacional a partir de Gouvêa Experience, seu braço de eventos, sobre os diversos tipos de operações de varejo no mundo e, como proposta de negócio, compartilha os aprendizados captados nos principais mercados com o objetivo de contribuir decisivamente na transformação dos segmentos em que atua como, shopping center, e-commerce, varejo tradicional e de valor, franquias, entre outros.

“Faz todo sentindo integramos a Campus Party em nosso portfólio, pois através dela conseguimos manter um diálogo com jovens que daqui a pouco serão jovens adultos e, em breve, líderes de negócios. A Campus tem em sua proposta a transformação da realidade digital que vem acontecendo no mundo e ao mesmo tempo amplia um pouco mais o escopo da nossa atuação. O Brasil é um país muito grande e um evento como este possui um enorme potencial, também no campo do consumo e varejo”, comenta Marcos Gouvêa de Souza, fundador e diretor-geral da Gouvêa Ecosystem, que completa: “a Campus Party é um ser vivo com atividade, visão e estratégia próprias. Ela é muito maior do que um evento Geek e tem um projeto de alcance social muito mais abrangente.”

LEIA TAMBÉM:  Ikigai: como empreendedores estão usando para definir o propósito da empresa

“Estamos muito animados em anunciar a parceria com a Gouvêa Ecosystem. Estamos planejando uma série de novidades na plataforma digital da Campus Party Brasil, como a criação de venda de merchandising da Campus Party através de e-commerce, a criação de hackathons da Campus Party independente dos eventos físicos e digitais, a plataforma de EAD gameficado focado tanto na comunidade da Campus Party como em possíveis empresas patrocinadoras, além de outras novidades”, explica Tonico Novaes, CEO da Campus Party Brasil.

Edição 2021

Considerada a maior experiência de imersão tecnológica do Brasil, a Campus Party Brasil, que este ano terá versões online e digital, contará com conteúdo sobre Work Life (Economia e Empregos), Living Better (Ciência e Saúde), Green Deal (energias limpas e meio ambiente), Joy of Life (Entretenimento e Cultura Digital) e New Horizons (Educação e Smart Gov). A parceria com a Gouvêa Ecosystem trará ainda importantes debates que estarão mergulhados em temáticas do consumo, além de áreas relacionadas e que estão interligadas de forma direta.

A Campus Party digital será realizada de 23 a 25 de julho e as versões presenciais estão previstas para o segundo semestre, assim como outros grandes festivais já anunciaram – em São Paulo a realização física do evento está marcada para acontecer entre 28 de outubro e 2 de novembro, no Anhembi, um dos mais completos centros de eventos da América do Sul.

Segundo Tonico, tudo está sendo planejado de acordo com o panorama da pandemia. “Nós acreditamos que a partir da metade do ano a situação estará mais controlada, mesmo assim, estamos nos organizando e acompanhando o cenário como um todo para colocar mais uma edição 100% presencial em operação”, disse.

Especificamente sobre a versão digital, no lugar do tradicional pavilhão, com o mar de barracas e a reunião dos chamados “campuseires” – e pelo fato da pandemia de Covid-19 e todas as regras de distanciamento social -, a Campus Party está prevendo alguns espaços físicos que estarão espalhados em pontos estratégicos. “No lugar de um espaço com 15 mil pessoas, teremos mil espaços com 15, 30 ou 50 pessoas acompanhando palestras, workshops e hackathons, que serão transmitidos em tempo real na nossa plataforma”, explica Tonico Novaes que ainda reforça a presença de todos os protocolos de segurança e saúde sugeridos atualmente.

2020 e sua edição 100% digital: pós-pandemia e a chamada para um “reinício do mundo”

LEIA TAMBÉM:  Varejista catarinense é a primeira a apostar no mercado financeiro digital

Em 2020, pela primeira vez em sua história, a Campus Party estreou sua versão digital. Quase 1,5 milhões de usuários acompanharam a edição da Campus Party por meio de seu hub global e de suas redes sociais. O primeiro evento global e totalmente digital da Campus Party foi realizado entre 9 e 11 de julho, em 31 países simultaneamente, com o tema “Reboot the World”.

Durante 3 dias e 24 horas, 90 palestrantes de todo o mundos se apresentaram em um palco global, e mais de 2.600 palestrantes de 120 nacionalidades estiveram em cinco palcos temáticos para cada país em um total de mais de 150 transmissões ao vivo e simultâneas (disponíveis gratuitamente no site). O evento gratuito arrecadou fundos para apoiar os Médicos Sem Fronteiras no tratamento de emergências sanitárias causadas pela Covid-19 e propiciou a oferta de empregos para a recolocação das pessoas que perderam seus empregos, além de um Call 4 Ideas com o tema Reboot The World que foi encaminhado para os governos de cada país.

No Brasil, foram mais de 700 atividades e 800 palestrantes em três edições distribuídas em Brasília, Goiás e Amazônia. Os palestrantes se dividiram em cinco palcos, como Work Life, Green Deal, Living Better, Joy of Live, New Horizons e trataram uma ampla variedade de temas que tinham como objetivo abordar os diferentes ângulos em que a tecnologia poderia colaborar com o “reinício do mundo”.

O país foi responsável por mais da metade da audiência global e teve retransmissão de conteúdos no YouTube e TikTok, além de conteúdos produzidos no Facebook, Instagram e Twitter que impactaram mais de 1,5 milhões de pessoas.

VÍDEO INSTITUCIONAL CAMPUS PARTY: https://www.youtube.com/watch?v=ZR0k-fU71LY

Website: https://brasil.campus-party.org/

LEIA TAMBÉM:  Agricultura digital: o que é, vantagens e como colocar em prática?

Inscreva-se
Notificar sobre
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments