Contém 1g pede recuperação judicial

Contém 1g pede recuperação judicial

A empresa de cosméticos Contém 1g teve seu pedido de recuperação judicial aceito pela Justiça nesta semana.

A dívida da empresa, segundo o advogado Otto Willy Gübel Júnior, responsável pelo processo de recuperação judicial, está em R$ 40 milhões. O BNDESPar é credor de 25% desse valor porque comprou debêntures (títulos da dívida) da empresa.

“Ocorre que, em detrimento de um conjunto de fatores econômicos, aliados à crise econômica que o Brasil vem enfrentando, que será profundamente explanada em momento oportuno, as empresas sofreram forte impacto em suas atividades, o que culminou no caos financeiro que hoje se encontram. Assim, não restou alternativa senão a adoção da recuperação judicial, cujo plano apresentado no momento oportuno reorganizará o passivo do grupo Contém1g, fazendo com que este retome sua costumeira estabilidade, e, posteriormente, seu esperado crescimento econômico”, diz o pedido de recuperação da empresa.

Com o pedido de recuperação aceito, a empresa tem 60 dias para apresentar o plano, que será discutido antes com os credores. Segundo o advogado, o objetivo é pedir carência de 12 a 18 meses para começar os pagamentos.

A Contém 1g iniciou suas atividades em 1984, na cidade de São João da Boa Vista, interior de São Paulo, inicialmente no ramo de confecção e comercialização de camisetas de malha direcionadas ao público jovem.

Em 1993, o dono da empresa, Rogério Rubini, decidiu expandir os negócios para o ramo de cosméticos e perfumaria, investindo na produção e comercialização de perfumes por meio de venda direta.

Em 1997, o sistema de distribuição e de venda direta foi modificado para o chamado sistema multinível, ou marketing de rede, modelo comercial em que os ganhos podem vir da venda efetiva dos produtos ou do recrutamento de novos vendedores, diferente do chamado “esquema em pirâmide” por ter a maior parte de seus rendimentos oriunda da venda dos produtos, enquanto, na pirâmide, os lucros vêm, apenas ou maioritariamente, do recrutamento de novos vendedores.

Os distribuidores eram compensados por bonificações na medida em que conseguissem ampliar o mercado, recrutando novos revendedores, vinculados à sua coordenação.

Nos anos 2000, percebendo a desaceleração do potencial de expansão de vendas, Rubini implantou um novo […]

LEIA TAMBÉM:  Hinode cresce com vendas diretas e incomoda gigantes do mercado

 

Inscreva-se
Notificar sobre
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments