Pular para o conteúdo

O impacto das criptomoedas na economia global

O impacto das criptomoedas na economia global
▶️ Compartilhe, Segue e Ganhe R$ 50,00!

Recentemente, termos relacionados ao mercado de criptomoedas deixaram de ser palavras estranhas: Bitcoin, Ethereum, Blockchain ou mesmo a palavra “criptomoeda” propriamente dita passaram a integrar cada vez mais o vocabulário de quem trabalha no mercado financeiro

Em meio à essa presença, elogios e críticas, mas ainda assim as moedas virtuais se mostram como algo sólido. Assim, o Bitcoin e outras moedas se tornaram uma alternativa recorrente para quem vive nesse mercado, especialmente por estas serem descentralizadas. 

Hoje, assim como é possível comprar ações na bolsa de valores de uma marca de carrinho plataforma, por exemplo, também vemos mais e mais investimentos por aqui. Ficou curioso e deseja compreender melhor sobre isso? Então, continue com a gente. 

Quais impactos as criptomoedas trouxeram?

Mesmo com todo esse crescimento, ainda há um longo caminho a ser trilhado: naturalmente, há um interesse maior do público geral no assunto, seja para entrar e investir na área, seja para simplesmente entender mais. 

Porém, a exposição do assunto na mídia também pode afastar investidores que tenham uma mentalidade mais conservadora; aqueles que buscam trabalhar com ativos menos voláteis acabam passando longe das criptomoedas, pensando sempre em alguma alternativa mais sólida.

Outro ponto a ser ressaltado é que, por mais que as criptomoedas já estejam bem estabelecidas no mercado, muitas pessoas ainda têm pouco conhecimento sobre o assunto; sendo assim, a ideia de gerenciar uma carteira virtual soa como algo difícil de entender para boa parte do público.

Soa natural pensar que a economia foi impactada pelas criptomoedas, e não apenas o mercado propriamente dito. Alguns países já passaram a fazer uso do bitcoin como moeda corrente legal, como El Salvador fez em 2021. No fim das contas, essa tendência é tão real quanto a aquisição de lixa para gesso para o setor de construção.

 

LEIA TAMBÉM:  Quais as regulamentações das Criptomoedas?

Regiões autônomas como Próspera, em Honduras, e a Ilha da Madeira, em Portugal, também passaram a adotar as moedas virtuais como forma de movimentar a economia. 

 

Vale lembrar que no caso de El Salvador, pode-se encontrar notícias que indicam que o turismo no país aumentou após a adoção das criptomoedas, o que indica outro impacto positivo na economia.

 

No caso do Brasil, já temos alguns projetos de lei tramitando no Congresso Nacional brasileiro, visando regulamentar e estabelecer normas para o mercado de ativos digitais. Dessa forma, pode haver um incentivo maior para o ingresso neste mercado uma vez que um conjunto de leis pode ajudar a diminuir a desconfiança de parte do público.

 

Saindo da esfera pública dos Estados e indo para a esfera privada, muitos bancos seguem aderindo ao Bitcoin, bem como outras moedas virtuais, como uma opção de ativo. Com apenas alguns cliques no celular, é possível comprar quantidades de Bitcoin, Ethereum e tantos outros ativos, tudo isso com a confiança que o seu banco proporciona. 

 

Vale citar ainda o exemplo da Mastercard, que recentemente passou a oferecer o seu primeiro cartão de crédito com recompensas em criptomoedas.

 

Como explicar os impactos do Bitcoin?

 

Se uma resina epóxi para piso é imprescindível para o chão de um shopping, os Bitcoins são peças populares nesse conglomerado de opções, quando o assunto é dinheiro online. 

 

Parte desse sucesso das moedas virtuais com as instituições privadas se explica pelo fato de que estas são descentralizadas, e assim não atrapalham os serviços comuns de um banco; na prática, uma transação feita com criptomoedas passa por bem menos mãos do que uma transação de banco convencional, e isso soa como um grande incentivo para quem busca investir na área.

 

LEIA TAMBÉM:  Quais impactos da Blockchain?

Ainda, vale citar que ativos como o Bitcoin independem das transações em dólar, o que permite que os investidores possam participar da economia global sem necessariamente depender das cotações da moeda norte-americana. 

 

Ou mesmo para quem não investe, mas tem o hábito de mandar dinheiro para fora: migrantes que enviam quantias para suas famílias, por exemplo, podem fazer uso das operações em criptomoeda para facilitar todo o processo, sem depender das taxas bancárias que podem ser altas.

 

Em resumo, pode-se dizer que as criptomoedas são sim um objeto que causou e ainda causa impacto na economia internacional, em um processo que, embora pareça lento, é constante. É como um conector m12, que foi ganhando em robustez, encaixe e vida útil, até chegar nos dias de hoje, onde podem ser anexados a sensores e cabos de extensão.

 

A aceitação destas, enquanto um ativo, ou mesmo enquanto moeda corrente, ainda é um caminho que tem muito a se percorrer, porém os benefícios que a economia pode ter já são sim vistos, e poderão continuar sendo caso esta linha continue a ser percorrida.

 

Ainda é seguro ressaltar que o Bitcoin e outros ativos deixaram de ser algo de nicho ou um hobby rentável para ser algo que permeia o dia-a-dia de pessoas no mundo todo, como uma realidade que veio para ficar em meio à uma economia em constante mudança.

 

Gostou do conteúdo? Então, conte para gente nos comentários e não deixe de acompanhar as novidades no blog e compartilhar nas redes sociais.

Este artigo foi escrito por Éder Pessôa, criador de conteúdo do Soluções Industriais.

Inscreva-se
Notificar sobre
guest

Resolva o desafio *Limite de tempo excedido. Por favor, complete o captcha mais uma vez.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Adoraria seus pensamentos, por favor comente.x